Fator | Performance Driven Marketing

4 erros que você provavelmente está cometendo no Google Ads

Depois de trabalhar no marketing de mídia paga por anos e administrar minha própria agência, ainda me surpreendo com o quão insuficiente a maioria das contas de Google Ads são executadas. Para a maioria das empresas, o Ads não funciona da maneira que eles pensam, porque estão cometendo alguns erros básicos.

O triste é que esses erros são evitáveis ​​e corrigíveis!

Depois de ver tantas empresas lutando para que suas campanhas funcionem sem perceber o que realmente as impede, estabeleci uma missão para ajudar as empresas a fazer com que suas contas de Google Ads funcionassem corretamente. O sucesso da mídia paga é uma possibilidade, se você souber superar alguns obstáculos.

Neste artigo, quero compartilhar quatro erros simples de Google Ads que custam às empresas milhares e milhões de dólares por mês em desperdício de anúncios ou perda de lucro, juntamente com algumas recomendações sobre como fazer as coisas funcionarem corretamente.

Pronto? Aqui vamos nós.

Erro nº 1 – Focando no custo por lead

Sim, você leu certo. Nos últimos anos, vi as melhores práticas em mídia paga mudarem lentamente da otimização para cliques para a otimização do custo por lead (CPL). Embora eu certamente ache que esse é um passo na direção certa, o custo por lead é um indicador – e não uma medida – do sucesso do Google Ads

Aqui está o problema: métricas personalizadas como CPL não garantem lucratividade. Vi inúmeras campanhas do Google Ads com altos índices de qualidade, excelentes taxas de cliques e CPL fantástica que não produzem receita lucrativa.

Não me interpretem mal, essas métricas podem ser ótimos indicadores de integridade da campanha; mas, se a campanha não der lucro, não vale a pena correr.

Melhorando

A chave aqui é amarrar tudo ao seu resultado final. Se você não pode descrever em detalhes o relacionamento entre suas campanhas de Google Ads e os resultados da sua empresa, você tem algum trabalho sério a fazer.

Infelizmente, não há atalhos para configurar o tipo de rastreamento necessário para vincular seus esforços de marketing e vendas; mas, uma vez que você tenha seu sistema instalado, as recompensas definitivamente valerão a pena.

Para empresas em que as vendas estão atrasadas em relação às métricas da campanha de marketing, as coisas podem ficar um pouco complicadas. Eu recomendo que você adote uma abordagem proativa medindo a qualidade de seu lead de duas maneiras:

  1. Relação lead-oportunidade  – quantos dos leads que você dirige estão sendo convertidos em oportunidades de vendas reais? Se forem necessários 100 leads “baratos” para gerar uma oportunidade de venda real, você provavelmente pagará mais por leads com maior probabilidade de se tornarem oportunidades.
  1. Custo por oportunidade – Ok, você gerou 10 leads em US $ 100, mas quantos se transformaram em oportunidades de vendas reais? Se a resposta for uma, então o seu custo por oportunidade é realmente de US $ 100. O custo por oportunidade realmente está no centro de sua eficiência em Google Ads portanto, recomendo que você use essa métrica em vez da CPL.

O foco na lucratividade da campanha é muito mais valioso do que o custo por lead. É preciso um trabalho extra, mas fornece as informações necessárias para você tomar os tipos de decisões que afetam seus resultados.

Erro nº 2 – Fazer lances para muitas palavras-chave

Lembra da antiga regra 80/20? Acontece que isso também vale para o Google Ads. Após auditar milhares de contas, descobrimos que a campanha de mídia paga média está produzindo todas as suas vendas a partir de 6% de suas palavras-chave.

Sim, acabei de dizer todas as suas vendas.

Para piorar a situação, 94% inútil das palavras-chave representam 76% do gasto com anúncios da maioria das contas.

Toda vez que vejo isso, me machuca por dentro e choro um pouco por fora.

Tornando-o melhor

Felizmente, existem algumas maneiras fáceis de resolver esse problema. Para começar, se você estiver usando correspondência ampla – pare com isso! Sei que o Google Ads faz desse tipo de correspondência padrão, mas isso não significa que você deve usá-lo.

Em seguida, você precisa determinar a viabilidade de sua estratégia geral de campanha. Para fazer isso, você precisa garantir um volume suficiente por meio das palavras-chave de maior intenção.

Palavras-chave de alta intenção são aquelas que as pessoas usam quando procuram ativamente o que você tem para vender. Se você não conseguir executar suas palavras-chave de alta intenção, as campanhas menos direcionadas definitivamente não funcionarão.

Normalmente, você deve permitir que cada palavra-chave receba pelo menos 250 cliques antes de decidir a viabilidade da campanha. No entanto, verifique se você não está usando tipos de correspondência ampla, caso contrário, seus resultados serão espalhados por tantos termos que você não aprenderá nada com seu teste!

Em poucas palavras, se você deseja acompanhar sua seleção de palavras-chave, reduza-as aos termos de intenção mais alta, use tipos de correspondência mais específicos e verifique se possui um volume de cliques suficiente para tomar uma decisão fundamentada.

Erro nº 3: taxa insuficiente

A maioria dos gerentes de contas de Google Ads tenta colocar seus anúncios em sua posição ideal usando uma estratégia de baixo para cima. Eles aumentam lentamente seus lances ao longo do tempo até chegarem à classificação do anúncio desejado. Infelizmente, essa estratégia não produz muitos cliques iniciais, dificultando o teste da viabilidade de suas palavras-chave e cópia do anúncio.

Como o objetivo inicial de qualquer campanha deve ser uma verificação de viabilidade, aguardar dias ou semanas para atingir um número estatisticamente significativo de cliques é uma ótima maneira de desperdiçar muito tempo e dinheiro.

Como melhorar

 Em vez de uma estratégia de lances de baixo para cima, recomendo uma abordagem de cima para baixo. Com um novo conjunto de anúncios, você já está enfrentando uma batalha árdua por um índice de qualidade, então é melhor lances pelo teto e começar a ganhar tração.

Por exemplo, em alguns casos, lancei R $ 100,00 em uma palavra-chave de custo por clique de R $ 10,00 apenas para fazer a bola rolar. Provavelmente é excessivo, mas certamente fez o truque.

Ok, antes que você fique preocupado com a oferta excessiva, deixe-me garantir que seu CPC (custo por clique) real provavelmente aumentará alguns dólares. No entanto, garantindo que você supere toda e qualquer concorrência, você poderá obter o volume de cliques necessário para demonstrar viabilidade.

Com essa estratégia, verifique se você tem uma configuração de funil muito consistente e atraente para suas campanhas de Google Ads. Suas palavras-chave, cópia do anúncio e páginas de destino devem ter uma mensagem consistente com uma oferta atraente, se você quiser que essa estratégia funcione; caso contrário, você pode acabar gastando muito dinheiro.

Quando se trata de testes de viabilidade, o objetivo não é rentabilidade, o objetivo é garantir que essas palavras-chave possam gerar vendas. Ao aumentar seu lance pelo teto, você pode obter mais tráfego e testar seu funil rapidamente.

Erro nº 4 – Rastreamento inadequado de chamadas

Apesar da disponibilidade de plataformas de rastreamento de chamadas (incluindo o recurso de encaminhamento de chamadas do Google), a maioria das empresas ainda não está rastreando suas ligações com eficiência. Isso representa um enorme problema para as campanhas de geração de leads, nas quais as chamadas telefônicas costumam ser uma das fontes mais importantes de leads.

Voltando ao ponto 1, não é possível rastrear quais canais estão gerando mais oportunidades e lucros se você não estiver acompanhando de onde vêm todos os seus leads. Não acompanhar as chamadas é tão ruim quanto não acompanhar as conversões de preenchimento de formulários (por favor, diga-me que você está fazendo isso!), Porque deixa você cego para o que está funcionando e o que não está.

Melhorando

Para muitos dos clientes com quem trabalhei ao longo dos anos, o rastreamento de chamadas telefônicas fez a diferença entre os resultados médios e os poderosos de mídia paga. De fato, o rastreamento de chamadas tem sido tão consistente que eu o recomendo fortemente para qualquer empresa que use o Google Ads para gerar leads. Além disso, considere enviar mais tráfego para chamadas telefônicas do que preenchimentos de formulários.

Afinal, se alguém está pronto para comprar, por que não colocá-lo no telefone e pegar o número do cartão de crédito?

Felizmente, plataformas como o Google Ads facilitam o rastreamento de chamadas como conversões. Por exemplo, você pode usar um número de encaminhamento em suas extensões de chamada de cópia de anúncio e gravar chamadas até o nível do grupo de anúncios. Além disso, ao inserir um código simples no seu site que substitui dinamicamente o seu número de telefone no local por um número de encaminhamento, você pode acompanhar quais campanhas geraram quais chamadas.

Depois de configurar o acompanhamento de chamadas, não se esqueça de medir objetivamente a qualidade dessas chamadas. As chamadas são ótimas, mas chamadas falsas? Não muito. Soluções como métricas de rastreamento de chamadas, Five9 e muitas outras se integram perfeitamente às ferramentas de CRM como Salesforce, facilitando o rastreamento e o monitoramento de chamadas.

Fator Digital

Somos uma agência de performance digital com cultura data-driven, moldada em 3 pilares: Design, Performance e Simplicidade.

Nos diferenciamos no mercado ao não fomentar o modelo tradicional de agência, que se propõe a ser apenas inquieto ou disruptivo. Nossa proposta consiste em ajudar empresas a terem sucesso no meio online através de ações eficientes de marketing digital.

Acreditamos na entrega de soluções, e não de serviços. Vendemos valor, e não tempo. Por isso pensamos as estratégias com foco em resultados que possam ser quantificados e qualificados.

Gostamos de dados, de como as coisas se conectam, mesmo quando parecem tão distantes. Aliás, acreditamos apenas em dados. O resto é achismo. E não trabalhamos com achismo na Fator.

RECEBA NOSSAS NOVIDADES EM PRIMEIRA MÃO!

Preencha seu nome e e-mail abaixo e enviaremos automaticamente as novidades do blog da Fator para você.